fbpx
Consumo de internet em alta durante quarentena - CMT
15955
post-template-default,single,single-post,postid-15955,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode-theme-ver-16.7,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.5.2,vc_responsive

Consumo de internet em alta durante quarentena

Compartilhar:

Pandemia do coronavírus já causa lentidão na internet pelo mundo

De acordo com dados do Speedtest.net, site para teste de velocidade de internet mais usado do mundo, o efeito da pandemia do coronavírus, que forçou dezenas de países e decretarem quarentena, pode ser bastante impactante no fornecimento do serviço em vários países.

O número de pessoas que estão em casa e acessando a internet ao mesmo tempo pode ser o maior já registrado na história.

A CMT conta com equipes de plantão acompanhando todo o cenário e levantando soluções para manter a qualidade da nossa rede. O volume de chamados está alto por isso pedimos o apoio dos nossos clientes. Caso você tenha alguma ocorrência é muito importante que abra um chamado em um canal oficial de atendimento da CMT, que você encontra neste link. Nossa missão é conectar pessoas com amor, sabemos da importância da internet para todos, principalmente neste momento, por isso estamos trabalhando para resolver qualquer ocorrência o mais breve possível. Assim que tivermos novidades vamos informar à todos.

Telefone CMT 24h (31) 3557-9999

Saiba mais:

Internet na China e Itália

O aumento da demanda, com a consequente diminuição da velocidade da internet, foi identificado na China na segunda metade de janeiro, mês em que a crise estava mais forte no país. Na Itália, o fenômeno tem ocorrido desde o fim de fevereiro, acompanhado de maior latência nas conexões.

Brasil

No Brasil, a crise relacionada à quarentena ainda está no início, segundo especialistas, mas pode durar meses. No exterior, o tráfego via redes IP subiu 40%, e o consumo de dados móveis cresceu 25%.

À medida que a demanda sobe, a tendência é que a velocidade da conexão caia e a latência aumente. Nesse sentido, não adianta oferecer pacotes com franquias ou velocidades maiores para o público se a infraestrutura não se adequar à demanda e ao número de pessoas acessando ao mesmo tempo.

Netflix e YouTube limitam serviços para evitar colapso na rede

A União Europeia (UE) solicitou ao YouTube e à Netflix que limitem seus serviços temporariamente para evitar problemas imediatos nas redes de banda larga, devido ao enorme fluxo de acessos que tem acontecido nos últimos dias, em decorrência da quarentena imposta em diversos países.

Com as pessoas ficando em casa para evitar a contaminação pelo Coronavírus, é cada vez maior a procura pelos serviços de streaming, jogos online e a busca por notícias, além de muitas empresas estarem adotando o home office, situações que aumentam consideravelmente o tráfego na internet.

 

Consumo de internet em alta

As políticas de distanciamento social e quarentena introduzidas por governos em todo o planeta, em meio à pandemia do Coronavírus, têm feito com que os picos de tráfego na internet não se limitem mais ao período noturno, como acontece normalmente.

Na Inglaterra, por exemplo, a operadora Vodafone relatou que o horário de pico agora se estende do meio-dia às 21h, enquanto na Itália, a TIM registrou aumento de 75% no tráfego de dados no fim de semana, principalmente por causa de jogos como Call of Duty e Fortnite.

Globoplay e serviços digitais da Globo adotam medida para garantir estabilidade do streaming

Pensando na preservação da infraestrutura da internet brasileira e para que mais pessoas tenham acesso aos seus conteúdos nesse período de expansão de consumo em streaming, o Globoplay e os demais serviços de vídeo online da Globo terão uma limitação na entrega de dados a partir desta segunda-feira (23). A medida tem como objetivo gerar um perfil de consumo de tráfego mais conservador para evitar um possível colapso da infraestrutura de troca de tráfego público e também garantir uma experiência de qualidade em todas as plataformas.

Os perfis de resoluções mais altas como 4K e Full HD (1080p) serão temporariamente suprimidos. A maior resolução para conteúdos ao vivo e em VOD será a HD (720p). A taxa de bitrate praticada na resolução Full HD, de 5,8 Mbps, cairá para 2,8 Mbps na transmissão HD. Um capítulo de novela com 60 minutos de conteúdo em Full HD, que consumia 2,5 Gb, passará a requerer 1,2 Gb, uma economia de dados de 52%. A mudança nos perfis também alcança os produtos G1, Globoesporte.com, GShow e Globosat Play. A medida só afeta o tráfego de dados, não havendo limites para a quantidade de vídeos nem para o total de horas consumidas.

Fontes:

Tecmundo

G1

Compartilhar: